Editorial referente ao cancelamento da prova de 03/04/2011.

Prezados Atiradores.
Por mais de duas semanas iniciamos os preparativos para a realização de uma prova conjunta entre o CTEGP (Clube de Tiro Esportivo do Grão Pará) e a FTPP (Federação de Tiro Prático Paraense) na pessoa de seu Presidente, o Atirador Bruno Cerutti. Depositamos nossas esperanças na mudança de atitude por parte de um pequeno número de atiradores descontentes após a realização desta prova, pois não só o presidente do CTEGP como o presidente da FTPP acreditávamos que conseguiríamos despertar o espírito desportista e estimular um comportamento amistoso e de urbanidade. Ao longo de duas semanas trabalhamos arduamente confeccionando as pistas, preparando o site para receber as inscrições em tempo real, mobilizamos patrocinadores e contratamos apoio logístico pois acreditávamos que seria uma prova divisora de águas e que ela serviria para aproximar os atletas e desmistificar algumas impressões. Sem ter o objetivo de acirrar os ânimos o cancelamento partiu da diretoria da FTPP, fato que desagradou e entristeceu bastante o presidente da FTPP que após comunicar o cancelamento renunciou ao cargo. A alegação dos descontentes foi o fato do presidente do CTEGP, anteriormente denunciado ao Exército Brasileiro pela FTPP e decorrido a apuração dos fatos alegados na denúncia, foi considerada como uma denúncia improcedente, oficiou as autoridades competentes a atitude deselegante de alguns membros da FTPP em denunciá-lo desmotivadamente. Gostaria de ressaltar que realizei uma prova dias depois da denuncia da FTPP no clube que presido e tratei a todos os convidados, inclusive os denunciantes com cavalheirismo, respeito e urbanidade. Agora diante da réplica os próprios praticantes de tiro prático (IPSC) se sentem no direito de cancelar uma prova de IPSC. Toda esta documentação está disponível a quem quer que deseje se informar para não tomar um juízo influenciado por falácias ou inverdades.
Confesso que ainda pensei em realizar a prova, pois o CTEGP possui atualmente cerca de duzentos associados e os desistentes não somam nem um décimo. Porém partes dos equipamentos das pistas que eram da FTPP foram recolhidos no meio da semana.
Acredito que quem perdeu foi o esporte, porém o CTEGP estará sempre de braços abertos a qualquer praticante do tiro que desejar freqüentar o clube munido de honestidade, ética, esportividade e cavalheirismo e não medirá esforços para expurgar aqueles que contrariam os princípios básicos da boa convivência.
Sinceramente.

Allan Rendeiro
Presidente do CTEGP

Deixe uma resposta